Real oficial

eu sabia que a parte mais difícil disso tudo seria o segundo post. depois daquele início onde eu dou um oi, digo que voltei e vocês me mandam mensagens bonitas e de incentivo, aí sim é que o bicho pega. dentre todos os assuntos que eu supostamente já escolhi, nenhum me parece bom o bastante para ser o primeiro post real oficial (e eu nem gosto de falar a expressão “real oficial”).

bom, pelo jeito, além de muito apegada, sou muito perfeccionista também.

então vamos fingir que esse não é o primeiro post real oficial (dclp, parei). enquanto isso, vou escrevendo aqui coisas sem pé nem cabeça só para preencher o espaço e ver onde isso vai dar. e aí, como você está?

“tudo bem com você?”

tá aí, uma coisa que me incomoda. quem pergunta dificilmente está interessado na resposta, quem responde só tem permissão para dizer que “está tudo bem, obrigada”. se alguém responder que não está tudo bem, capaz da outra pessoa entrar em parafuso. pane no sistema alguém me desconfigurou. ninguém está preparado para sair do script, inclusive eu.

– não, não está tudo bem.

“e aí? o que você tem feito?”

eu poderia dizer que tenho trabalhado muito e que as tarefas do dia a dia consomem todo o meu tempo. e eu já gostei muito de falar esse tipo de coisa. aquela ideia de que gente ocupada é gente importante, relevante, interessante. mas acontece é que eu não tenho trabalhado tanto assim, pelo menos, não mais aquele tanto que eu trabalhava uns 5 anos atrás. era um ritmo frenético e eu nem sei como que eu dava conta de tantas tarefas.

eu poderia dizer que diminui o ritmo de trabalho porque me tornei uma pessoa evoluída espiritualmente, que desacelerou para garantir uma qualidade de vida melhor. mas a verdade é que a tal da crise me pegou de jeito. não somente a crise econômica, mas também uma crise pessoal e aí o bolinho só se manteve firme porque suas camadas estavam bem consolidadas para aguentar o batuque.

imagino que seja estranho ler alguém dizendo esse tipo de coisa né? nessa era pró-empreendedorismo de sucesso parece pecado dizer que as coisas não estão indo tão bem assim.

faz 8 anos que eu faço o que faço. estava tão ocupada fazendo o que eu fazia que não tive tempo de pensar em marketing estratégico. eu não precisava, minha agenda estava lotada. mas agora eu preciso, o mundo dá voltas e todo aquele papo, sabe. e aí começam a pipocar na sua frente coisas como: “você precisa gravar stories”, “você precisa postar todo dia”, “consistência e persistência”, “quem não é visto não é lembrado”, “compartilhe conteúdo relevante e de qualidade”, “primeiro ensine alguma coisa, depois venda seu produto”, “seja autoridade na sua área”, “transforme seus seguidores em clientes”. ah tá. os 8 mandamentos da nova era.

tudo isso é muito repetitivo e eu fico me questionando se todo mundo fala isso porque é uma verdade absoluta ou se tornou uma verdade absoluta porque todo mundo fica repetindo. e coisas repetitivas me entediam.

bom, o que eu fiz?

resolvi ressuscitar um blog, nadar contra a correnteza. enquanto todo mundo está construindo seu “branding pessoal” através do marketing digital, potencializando suas qualidades e competências, eu venho aqui no blog, mostrar minhas vulnerabilidades. o tédio me deixa mais criativa e sem vergonha.

◆◆◆

há quem diga que esse blog faz parte da minha estratégia de marketing pessoal, não confirmo mas também não nego.

Deixe seu comentário

17 comentários

  1. Ei, bonita! Que lindo este texto! Que lindo este novo blog! Que linda vc é!
    Mas você é muito mais que toda essa beleza: Você é HIPER talentosa, SUPER profissional e tem o dom de inspirar de um jeito gracioso, que só você tem! Não precisa seguir a manada, não. Seu caminho é só seu.
    Muito sucesso com esse novo projeto! Que ele floresça e continue firme e forte!
    Eu estarei sempre acompanhando na torcida!
    Bjs da sua cliente maaaais chata, mas que tb é sua fã de carteirinha! 🙂 Bjs, Pri

    1. adriadri respondeu Priscila Guerreiro

      oi, pri! (demorei um pouquinho pra responder haha)
      como eu já tinha te escrito, fiquei super feliz com a sua mensagem e todo o carinho! muito, muito obrigada! é muito bom ler esse reconhecimento vindo, ainda mais, de uma cliente! 🙂 eu sei que o processo de design é sempre difícil e exige bastante de você, mas fico muito grata em saber que você confia no meu trabalho e potencial!
      você também tem trilhado um caminho um pouco diferente da maioria, do seu jeitinho. tenho certeza que isso te levará para uma jornada mais gratificante e feliz!
      boa sorte para nós!
      beijo grande!

  2. AvatarAmanda comentou

    Concordo sobre ser entediante esse discurso de marketing pessoal a todo custo e essa avalanche de perfis dizendo a gente que é certo ou não fazer. Que a autenticidade fale mais alto. Adorando como sempre o seu espaço de troca. 🙂

    1. adriadri respondeu Amanda

      oi amanda! muito obrigada pela mensagem! 🙂
      é muito bom saber que não sou a única que acha esse discurso monótono e sem sentido! certamente, a autenticidade será sempre o melhor caminho para o sucesso (sejá lá o que for o sucesso)! haha beijo!!

  3. AvatarEmy comentou

    É bom vê-la de volta, Adri!
    Suas palavras, fotos e tudo mais são inspiradoras! Te acompanho sempre pelo insta e fiquei muito feliz de ver que voltou a blogar <3
    E seu blog novo está lindo!!

    1. adriadri respondeu Emy

      muito obrigada pela mensagem e pelas palavras, emy! ♥︎
      também fico super feliz de ter você por aqui!! beijo!!

  4. AvatarMelissa comentou

    Este texto está num blog mas poderia facilmente estar no Linkedin. Lá está mesmo precisando de menos “dicas de como fazer isso” e um pouco mais de “estamos todos tentando”. Gostei tanto que li ontem, fiquei pensando sobre ele e resolvi voltar hoje só para comentar.

    Amei também isso de ir na contra-mão e me identifiquei super com ser avessa a este “como ser bem-sucedido na internet”. Sou redatora publicitária e tenho um blog pessoal há anos. Pelos últimos três ele anda como o Pequenina Vanilla andava: paradão, mas também não quero abrir mão. E, olhando para trás, além da falta de tempo, acho que também desanimei quando tentei ser mais “profissional” e fazê-lo crescer usando SEO e tal. Ter que ter títulos “5 dicas disso”, “10 coisas daquilo” simplesmente não me inspirou tanto quanto criar títulos criativos (mas péssimos para SEO) me inspirava.

    1. adriadri respondeu Melissa

      oi melissa! fiquei feliz de saber que o texto te tocou de alguma forma e que você voltou aqui para deixar essa mensagem! muito obrigada! ♥︎♥︎♥︎
      também fico aliviada em saber que não sou a única que cansei desse discurso do marketing digital, tão repetitivo e cada vez com menos personalidade. eu entendo que existem diferenças entre um projeto profissional (onde você precisa de estratégias de mkt, de fato) e um projeto pessoal, descompromissado e livre. mas mesmo no caso profissional, seguir formulinhas prontas só serve para criar uma massa de perfis iguais, sem autenticidade né?
      espero te ver mais vezes por aqui! 🙂 beijo grande!

  5. AvatarMARY comentou

    Minha nossa, concordo com cada linha .-.

    Olha, eu amo a internet, mas ela me cansa um pouquinho. Não sei se é porque, por formação, tbm venho da área de comunicação e, supostamente, deveria estar seguindo todos esse “mandamentos” à risca. Mas começou a falar no assunto eu sinto o mesmo que você: tédio. Cada vez menos relevância e mais artificialidade, é o que se vê.

    Mas que bom, que ainda existe conteúdo de verdade, para pessoas de verdade, feito com coração e não nas forminhas de marketing digital prontinhos pra viralizar ou se encaixar na tendência da semana.
    Que bom que ainda tem gente disposta a nadar contra a correnteza 🙂

    1. adriadri respondeu MARY

      oi mary! pois é isso mesmo, morro de preguiça de ouvir/ler sempre o mesmo discurso, mesmas formulinhas prontas que não dizem muita coisa. até entendo que as pessoas gostam das formulinhas porque são fáceis de engolir, são menos amedrontadoras do que ter que “ser original”, “pensar diferente”. parece menos arriscado, mas quem não arrisca também não petisca né, já dizia o velho ditado, haha. então estamos aqui, nadando contra a correnteza e uma hora veremos pra onde isso nos levou!
      beijo!! ♥︎

  6. esse negócio de estar 100% conectada, consumindo todas as informações 24/7, etc etc etc, me deixa em pânico. quem é que realmente consegue fazer isso a longo prazo? e digo fazer sem anular a própria vida social, saúde, etc. faz parecer que até criatividade e inspiração se encontra na casa de produtos naturais mais próximas e tomando 2 cápsulas por dia seus problemas serão resolvidos, MEUDEUS. tive um mini infarto só de pensar nisso agora. *respira*

    acho legal poder ter acesso a infos que ajudem o negócio, que ajudem a forma que a gente vê o mundo e tudo mais. o foda é saber filtrar até onde a gente pode e precisa absorber. no fim esse é um dos motivos que eu amo ter um blog, também posso dar umas surtadas seja lá por qual motivo até descobrir o que fazer com os meus perrengues.

    gente de verdade né? porque, apesar do que as redes mostram mesmo que ~sem querer, a vida de ninguém é perfeita. tem seus bons e doidos momentos. altos e baixos, etc etc etc. e tudo bem. a gente dá umas respiradas, umas surtadas, gratidão, repeat.

    e espera que no fim sobreviva, aprenda umas coisas novas, aprenda a se respeitar mais, entender mais, respirar mais. vamo que vamo.

    1. adriadri respondeu BA MORETTI

      exatamenteee!! consumir todas as informações que estão disponíveis, só faz a gente ficar ansiosa e improdutiva. mas também é difícil saber filtrar que tipo de conteúdo nos faz bem e nos agrega alguma coisa, é um eterno dilema entre “preciso ver/saber/absorver esse monte de conteúdo” e “sou só uma e tenho mais o que fazer!”. também tem a questão de ser crítico e conseguir diferenciar quem realmente sabe e pode nos ensinar algo (seja pra vida ou pros negócios) e quem só acha que sabe (mas na prática, não sabe nada) e se aproveita da onda.
      pra mim também, o blog é sempre um refúgio, um local tranquilo e seguro, que se prestar bem atenção dá até para ouvir os passarinhos cantando hahaha (especialmente agora que o foco saiu dos blogs). às vezes, acho que instagram e todas as redes sociais, parecem um monte de gente gritando num megafone, no meio do centrão, disputando atenção. enquanto, os blogs são uma salinha aconchegante, onde você fala suave e consegue ouvir o que as pessoas têm para te dizer.
      enquanto o bonde anda, a gente tem que ir aprendendo a lidar com tudo isso. ninguém sabe muito bem qual o caminho certo, mas ter senso crítico e prezar pela sanidade mental já é um bom começo né. haha 🙂

  7. Ei, bonita!
    Vou confessar que já tinha acessado teu blog em outros dias, quando tu divulgou nos stories.
    Mas tenho um sério problema chamado “preguiça de comentar na hr” ou ‘depois-eu-volto-e-comento-e-isso-nunca-acontece” hahahhaha
    Mas to aqui sempre acompanhando. viu? <3
    (inclusive conversamos sobre isso por directs agora a pouco hehehe)
    Essa pressão de postar algo interessante, relevante, e tudo mais sempre nos paralisa né?
    Eu tenho sérias dificuldades com isso, tanto que meu blog está paradíssimo e meu perfil de "lojinha" vai bem devagar.
    Mas assim vamos levando, lutando aos poucos pelo que nos faz bem, sem vergonha de ser feliz 🙂

  8. Ah que linda! Muito legal você falar tão abertamente do seu negócio. E não ficar criando uma imagem de uma empreendedora perfeita. Acho que fingir que está tudo bem desanima mais quem está passando por dificuldades financeiras.

    haha adorei que o bolinho estava bem consolidado! Vocês fizeram um ótimo trabalho com as camadas de bolo e recheio! rs

    Espero que as coisas melhores por aí Adri ♥

  9. Gente! Me abraça!!! Eu percebi algo interessante tbm: nem todo mundo que eu gosto de acompanhar no YouTube, por exemplo, eu gosto de acompanhar em outras redes sociais, principalmente no Instagram, que virou uma plataforma de marketing e que muitas vezes eu não sei mais o que é real e o que não é. Tudo é branding, tudo são esses mandamentos do marketing… gosto e respeito o trabalho das pessoas. Tem muita gente série nesse meio, mas que está saturado é um fato.

  10. AvatarAlê comentou

    Que post mais maravilhoso! Resumiu total o que eu sinto e que bom que não sou a única a ficar muito cansada disso tudo. Sou a favor de pessoas rebeldes e que nadam contra a maré. Tamo junta!

  11. AvatarVanessa comentou

    eu sou essa pessoa do mkt digital dizendo que faz toda diferença aparecer, criar conexões, ter consistência e persistência principalmente, porque é doidera a gente esperar cliente cair no colo com um cenário sócio económico que estamos… mas tuuuuudo isso que eu falo, não serve de nada se a pessoa não tem autenticidade, personalidade….sair fazendo tudo que outros falam ou mesmo copiar o que é tá dando certo pros outros e não pensar por si, na sua estratégia, não leva a lugar nenhum mesmo…
    é repetitivo e eu busco fazer diferente tb…do contrário eu não estarei aqui num blog e certamente estaria com perfil #girlpower total em tons pastéis lá no Insta kkk